RESENHA | O Ceifador #1 - Neal Shusterman ⚔

em 26 de fevereiro de 2019



Título: O Ceifador (Scythe #1)
Ano: 2017
Páginas: 448
Editora: Seguinte
Autor (a):  Neal Shusterman

Sinopse: Primeiro mandamento: matarás.
A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria... Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade.
Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador - papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a arte da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais, podem colocar a própria vida em risco.




Oi gente, tudo bem com vocês? No nosso segundo mês do Projeto Lendo Distopia, hoje eu trouxe a resenha do livro O Ceifador do autor Neal Shusterman. Faz muito tempo que este livro estava na minha whitelist e só agora tive a oportunidade de ler e resenha-lo aqui para vocês.  

A história é dividida em cinco partes e é narrado na terceira pessoa. Primeiro eu preciso que vocês entendam qual é o cenário do livro, quem são os Ceifadores, qual o objetivo deles e o que eles fazem.

A história se passa no futuro, depois da antiga gestão humana ser erradicada, a Nimbo- Cúmulo (eu associei o nome com a nuvem cumulonimbus que é a nuvem mais perigosa, porque ela é mais alta e a probabilidade da chuva ser cabulosa é maior)  é a responsável por gerenciar os humanos, como também, contém todo o conhecimento necessário, nada mais precisa ser inventado, pois a Nimbo-Cúmulo monitora e controla a vida humana. Outra coisa muito legal é que, as pessoas não morrem mais. Se uma pessoa morre o Ambudrone leva a pessoa até o centro de restauração e após alguns dias as pessoas vivem de novo.  Entretanto, há uma exceção, os Ceifadores não tem nenhuma relação com a Nimbo-Cúmulo, eles fazem suas próprias regras e tomam suas próprias decisões.

Primeiramente, os Ceifadores são responsáveis por coletar pessoas, logo, eles são um instrumento da morte que,  é descrito no livro como algo natural, pois na era da mortalidade as pessoas morriam, e, com a nova política da Nimbo-Cúmulo as pessoas não morrem e conseguem se revitalizar, dessa forma, Os Ceifadores são responsáveis por tirar a vida das pessoas. Todos os Ceifadores tem uma cota de mortes e regras a seguir, porque existem os conclaves nos quais os Ceifadores são julgados ou homenageados. Ser um Ceifador não significa que tem que matar por prazer, há várias emoções por trás do que fazem. Pode haver a possibilidade das pessoas receberem imunidade no ato de beijar o anel dos Ceifadores por algum tempo. Para concluir, alguns humanos tem medo ou bajula os Ceifadores. Mas a morte pode bater a qualquer hora em qualquer lugar. 

As atividades da Nimbo-Cúmulo não são da minha conta. O objetivo dela é sustentar a humanidade. O meu é moldar a humanidade. A Nimbo-Cúmulo é a raiz, e eu sou a tesoura de poda, moldando os galhos, mantendo a árvore vida. Ambos são necessários. E mutuamente excludentes. 

Agora vamos conhecer os nossos personagens principais. Citra e Rowan moram na mesma cidade MidMérica, ambos tem dezesseis anos e estão estudando e vivendo suas vidas da maneira que podem.

Citra é uma garota muito persistente. Ela tem uma personalidade forte e seus pais não tem uma conexão muito forte com ela. Mas um dia o Ceifador Honorável Faraday bateu na porta da família de Citra, não para coletar, mas ao conhecer a garota ele sentiu um possível potencial nela e o convite de aprendiz de Ceifador foi lançado.


Rowan é um garoto que se sente como um alface na família (no livro explica melhor o lance do alface), devido ao grande volume de irmãs e irmãos, Rowan nunca foi notado. Na escola ele está sendo rejeitado, pois presenciou a coleta de um integrante da escola, agora está sendo culpado por seus colegas. Até que, o mesmo ceifador Honorável Faraday que coletou na sua escola, viu que Rowan tem algo especial e conseguiu mais uma aprendiz de Ceifador na sua lista.

Faraday é um ceifador respeitável no conclave dos Ceifadores, por sua boa conduta e por sempre respeitar os 10 mandamentos da Ceifa. Agora ele é responsável por treinar dois aprendizes, Citra e Rowan. Quando os nossos personagens principais se conhecem, percebemos que há um clima rolando entre eles, mas o romance neste livro não é a prioridade. No treinamento eles têm que dominar todos os mandamentos da Ceifa e saber lidar com a morte, matar com compaixão. A forma de matar do Faraday é relacionada com números, por exemplo, na era da mortalizada 6% das pessoas morriam em acidentes de carro, então ele mata as pessoas dentro dos carros, é bem assim, mas cada Ceifador tem uma conduta.
 

Para ganhar o anel do ceifador os aprendizes precisam passar por testes no conclave, no caso são três testes, entretanto, aconteceu uma treta muito louca com um dos Ceifadores (não vou falar quem) que acabou separando Rowan e Citra, depois do segundo conclave. Logo, conhecemos novos ceifadores e entendemos alguns depoimentos que foram descritos nos diários de alguns ceifadores.

Dos novos personagens que entraram na história, eu só irei comentar sobre um, o Ceifador Goddard. Ele é um ceifador muito diferente dos “tradicionalistas” (como ele mesmo fala). Goddard quer a “revolução”, quer matar de formas diferentes, e muitas coisas dificultam que essa “corrupção” não seja disseminada entre os ceifadores.  E, outra coisa que influencia é que, todos tem medo dele  ninguém o acusa de nada. Os Ceifadores tradicionais pensam que todo o que Goddard faz é errado, mas ninguém tem coragem de calar ele.

Então gente depois da treta que aconteceu após o segundo conclave, o enredo da história irá evoluir totalmente. Muitas coisas acontecem e com esse desenrolar nossas dúvidas são sanadas. Só uma coisa que vocês precisam saber só um aprendiz irá ganhar o anel de Ceifador, agora, quem vai ganhar? Que treta doida aconteceu? Há corrupção entre os Ceifadores? Só lendo o livro vocês saberão.  



O mundo que o autor criou me chamou atenção e me prendeu na história, era esse tipo de distopia que estava procurando para ler e estou satisfeita. Com um enredo original, o livro O Ceifador trouxe vários fatos interessantes sobre o convívio social, como as pessoas podem mudar ao ver a morte na sua frente, por exemplo, entregando a própria filha para toda da família sobreviver. São vários casos que o livro trás. Mas o fato que mais me chamou a atenção foi que, a única coisa que a Nimbo- Cúmulo não controla são os Ceifadores que também são humanos, e está acorrendo problemas de corrupção somente na Ceifa, o que podemos refletir com isso?

Pelo fato dos garotos terem dezesseis anos, pensei que a história ia ser infanto juvenil, mas não foi isso que aconteceu desde o início, os personagens amadurem mais ao longo da história e fiquei super satisfeita com isso. Percebi também que o vocabulário que o autor utilizou me pegou de surpresa, tinha algumas palavras que não tinha conhecimento, isso é bom, porque descobri várias palavras para usar nas minhas redações do Enem. Minha sorte é que, eu li no Kindle, logo foi muito fácil pesquisar sobre as palavras.

Confesso que só depois da metade do livro me senti ligada a história, não que o início seja ruim ou arrastado, mas foi diferente depois da metade do livro, como se o autor tivesse deixado o livro de lado para espairecer e voltar mais motivado do que antes, vocês me entendem? (se não entender eu aceito também). A história é boa, mas não conseguiu me conquistar totalmente por causa desse fato.

Então se você está procurando uma Distopia boa e reflexiva para ler, eu super recomendo O Ceifador, mas se você já leu e não gostou me conta aqui nos comentários que eu quero saber a opinião de todos, e, claro respeita-las também.


É gente até mais!

7 comentários:

  1. Olá, Lidia.
    Eu estou com o livro aqui na estante e estou enrolando para ler para ver se o autor termina a trilogia e já leio tudo de uma vez. Que bom que a segunda parte foi ainda melhor, espero que goste mais ainda do segundo.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sil, não perca tempo e porque o livro é muito bom, acho que você vai gostar :)

      Excluir
  2. Oi Lidia! Esse é um dos melhores que li do autor, acho a trama super criativa e impactante. Bjos!! Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  3. Oi Lidia,
    Eu gosto muito de distopias, mas não sei se esse livro seria algum que eu gostasse de ler. É pessoal mesmo, sabe?
    Mas, eu não posso dizer o que eu não sei. Pelas críticas que ouvi, sendo boas ou não, não me interessei muito.
    Mas, que bom que você gostou.
    Beijos!
    BorboletraInstagram

    ResponderExcluir
  4. Já li algumas resenhas sobre esse livro e a maioria tinha a mesma opinião que você, uma pena a leitura não fluir muito bem..

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, mas parece ser muito bom! Dica muito boa.

    Ótimo post!
    >>> https://blogjulianarabelo.wordpress.com/

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, dúvida ou sugestões!
E obrigada pela visita! 😉

© Depois da Leitura | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Colorindo Design | Tecnologia do Blogger.